Este manual visa orientar quanto a rejeição do SEFAZ 698 que se trata da incompatibilidade da alíquota interestadual com os estados envolvidos na operação.

A rejeição ocorre quando a Alíquota Interestadual (pICMSInter) for diferente de 7.00% (sete por cento)  quando o Estado de Origem (de emissão) for da Região Sul e Sudeste (exceto Espírito Santo - ES), destinado para Estados do Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Espírito Santo;  Ou se a Alíquota Interestadual (pICMSInter) for diferente de 12.00% (doze por cento) nos demais casos.


Solução 


- Verifique o Estado de Origem e o Estado de Destino na movimentação que apresentou a rejeição


- Verifique como está no cadastro das alíquotas interestaduais na tabela de Alíquotas.


Caminho: Ir para\Controladoria\ Fiscal\ Cadastro\ Alíquotas


Exemplo hipotético

Foi emitida uma NF-e, com Origem (emissão) no Estado de São Paulo, Destinado a o Estado de Santa Catarina com Alíquota Interestadual (pICMSInter) igual a 7.00% (sete por cento). Nessa situação, a NF-e será rejeitada pelo motivo 698, pois para NF-es com Origem no Estados no Sul com Destino a Estados no Nordeste, a Alíquota Interestadual deve ser de 12.00% (doze por cento).


Obs.: Caso houver dúvidas quanto a alíquota interestadual correta para a operação em questão, queira verificar com sua contabilidade e ajustar na tabela de alíquotas.